Provavelmente você já deve ter ouvido falar do Mont Blanc, talvez pelas famosas e caras canetas, relógios e perfumes. Mas mais que isso, o Mont Blanc (em italiano: Monte Bianco) é a mais alta montanha dos Alpes e da União Europeia, atingindo 4.808,73 metros e é o primeiro cume dos Alpes com mais de 4.000 metros. Além disso, ela é a maior montanha do maciço do Mont Blanc e faz parte da divisória de águas entre o mar Adriático e o mar Mediterrâneo.

Mont Blanc

A belíssima paisagen do Mont Blanc (Foto: Rafael Rossi)

O acesso turístico ao topo da montanha pode ser feito através das cidades de Courmayeur na Itália ou no seu extremo oposto pela cidade de Chamonix na França, que fica a aproximadamente 6 horas de carro de Paris. Mas a melhor opção é descer no aeroporto de Genebra em menos de uma hora e meia você chega a Chamonix. Ambas cidades são bem charmosas e belas, tendo como principal diferencial, além do idioma, o movimento turístico que é maior do lado Francês durante o verão.

Casas da cidade de xxx com o Mont Blanc ao fundo

A charmosa cidade de Courmayeur (foto: Rafael Rossi)

Quando fiz o Tour du Mont Blanc (TMB), meus amigos e eu optamos por subir pelo lado italiano (http://www.montebianco.com/), que futuramente descobrimos ter sido a melhor opção. Digo isso, porque quando chegamos a Chamonix, a fila para subir era imensa, tendo até senhas para usar o teleférico.

Se você tiver interesse em conhecer mais sobre a cidade Chamonix, o pessoal do Por Onde Andamos tem um artigo bem completo sobre o assunto.

DICA: Vá usando roupas apropriadas pois mesmo estando calor na cidade base, lá em cima faz muito frio!

Para chegar à entrada do teleférico, pegamos um ônibus na estação rodovia ia de Courmayeur até a parada Piazza Monte Bianco, onde caminhamos por dentro de um vilarejo belíssimo e nostálgico.

O teleférico, por sua vez, se mostrou outra vantagem de subir pelo lado italiano, porque ele é novo, moderno e gira 360 graus, permitindo uma vista completa durante toda a subida, eliminando a necessidade de empurra-empurra pra tirar fotos da montanha. Além disso, quando o teleférico passa pelo postes de sustentação, ele sofre uma pequena “queda” dando aquele frio na barriga de montanha-russa.

Chegando ao primeiro ponto da montanha a 2173m de altitude você é obrigado a descer para trocar para o teleférico que vai à segunda parte mais alta da montanha, que fica a 3466m metros de altitude. No topo desta segunda parte, você sobe um lance de escadas que sai no terraço e que te oferece uma bela vista do Mont Blanc e do pico Dente do Gigante. Este terraço muito bem construído, diga-se de passagem, permite uma vista panorâmica de 360 graus, deixando qualquer um impressionado.

Mont Blanc ao fundo e o sistema de teleférico em funcionamento

O Mont Blanc em seus modernos teleféricos. (foto: Rafael Rossi)

Eu já estava boquiaberto com a vista, quando decidimos pegar o outro teleférico que cruza o monte, no sentido de Chamonix para apreciarmos a vista do lado francês.
Quando chegamos ao pico Aiguille du Midi (Agulha do meio dia) a aproximadamente 3800 metros de altitude, posso afirmar que o que eu tinha visto tinha sido apenas uma pequena amostra do que era o Mont Blanc. No lado francês fiquei ainda mais impressionado com a vista. A visão do Mont Blanc e do Dente do Gigante do lado francês, por mais que eu mostre as fotos, jamais vai refletir a beleza real do lugar, você vai precisar ir lá também para entender o que eu estou falando.

A infra-estrutura é excelente, com ótimas placas indicativas e um amplo espaço para caminhar. Como disse anteriormente, a visão dos alpes é mais privilegiada do lado francês, principalmente por ficar mais perto do Mont Blanc e ter um permitir um raio de visão maior. Interessante foi ver também alguns alpinistas que pareciam formigas caminhando naquela imensidão branca que cobria os picos.

Alpinistas na imensidão branca e gelada do Mont Blanc. (Foto: Rafael Rossi)

Alpinistas na imensidão branca e gelada do Mont Blanc. (Foto: Rafael Rossi)

Mais ao final do dia, (sim, você irá gastar umas boas horas lá em cima se deslumbrando com esta maravilha da natureza) retornamos à Courmayeur e ficamos a observar aquele gigante diante de nós.

Se vale a pena fazer o Tour do Mont Blanc?? Ahhhhh vale… e como vale !!! E se você gosta desse tipo de aventura, não deixe de acompanhar o blog Viaje de Mochila, lá tem muitas outras histórias como essa além de dicas para quem quer explorar o mundo fazendo trekking.


Conte sua história também, essa foi contada pelo nosso amigo:

Rafael Rossi

Rafael Rossi

Viajante apaixonado por esportes e dono do blog Viaje de Mochila, ele conta suas experiências pelo mundo.

 

Posts relacionados

4 comentários em “Como chegar ao topo do Mont Blanc sem saber escalar

  1. Paulo Deursen disse:

    Prezado Rafael, ótima dica, mas é sobre os custos, guias, equipamentos, etc?

  2. Rafael Rossi disse:

    Paulo, a subida até o topo utilizando o teleférico do lado italiano fica por €48. Não é necessário guia ou equipamentos de escalada. Existe toda uma infraestrutura para turistas aproveitarem o passeio, a vista e a grandiosidade do Mont Blanc.
    Abraço

  3. Luísa Reis disse:

    Olá Rafael! 48 euros seria apenas o primeiro teleférico do lado italiano? vocês tiveram que pagar a parte para o segundo teleférico que cruza o monte? Obrigada!

  4. Rafael Rossi disse:

    Boa Tarde Luisa, tudo bem?
    Exato esse valor é para chegar até o topo do lado italiano, que já vale muito à pena. Para ir ao lado francês, não me recordo exatamente o valor, mas deve ser em torno de €30, que também vale à pena.
    Passar em cima das geleiras de teleférico é muito emocionante, além de poder passar por dentro da montanha e vizualizar tanto o Mont Blanc (vista da foto de capa) do outro lado quanto a cidade de Chamonix.
    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *